Libelo pela compreensão

Libelo pela compreensão Não existe Yôga sem um bom relacionamento humano Como Mestre de Yôga, considero requisito principal a capacidade de boas relações humanas e não quero como discípulo, nem como assistente, nem mesmo como amigo, alguém que não saiba se relacionar bem com os demais. Nós do Yôga, temos uma prioridade no nosso esforço (tapas) pelo aprimoramento: é o cultivo das boas relações entre os seres humanos. Sem compreensão não existe Yôga. Não se admite que praticantes ou instrutores de Yôga não consigam superar uma emoção para evitar desentendimento com alguém. Não adianta nada fazer lindos exercícios, meditar e portar o ÔM se você responde a uma agressão com outra agressão. É uma

Satya: a verdade

O código de ética do Yôga possui dez preceitos, entre os quais estão a não-agressão, a verdade, não roubar, entre outros. Neste artigo discorreremos um pouco sobre satya (a verdade), e de que for este preceito é visto do ponto de vista do Yôga. A busca da verdade é uma das grandes questões da filosofia como um todo. O Yôga, como filosofia prática, traz a verdade como uma prática para o dia-a-dia, como a vivência da congruência: a correspondência entre o que se sente, pensa e como se age. O Yôgin vive cada instante de vida com a mente focada no momento presente. Com a atenção concentrada no aqui e agora se vive verdadeiramente. Sem deslocamento da consciência para o passado ou para o futuro.

Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • Facebook Fabiano Gomes
  • Instagram - Fabiano Gomes
  • YouTube - Fabiano Gomes
Busca por Tags