top of page

O paladar não retrocede

Texto por Paola Martins



Não é possível voltar duas vezes ao mesmo lugar: tudo muda, o tempo todo.


Ainda que o lugar no espaço seja exatamente o mesmo, todo o restante não será, e, por este "simples" fato, absolutamente tudo será diferente.


Não se pode retornar ao local estreito, depois de crescer um pouco.


É impossível engatinhar de volta para o útero.


Todas as coisas seguem a diante.


Nada é mais ilusório do que tentar retornar, ao que quer que seja.


Pois, uma vez que vamos pra frente, não há mais nada lá atrás, apenas fantasmas.


Nossas experiências nos mudam e nos moldam a todo o instante.


E, partir de cada uma delas, é impossível retroceder.


O paladar não retrocede, para nada da vida. Uma vez tendo provado algo novo, algo melhor, algo mais saboroso, ninguém quer voltar atrás.


Podemos passar uma vida inteira comendo apenas arroz insonso, felizes, satisfeitos com o gosto. Porém, ao provarmos o sabor do sal, da pimenta, do limão, nunca mais comeremos arroz insonso da mesma forma: neste ponto, a experiência terá nos brindado com uma informação que não podemos desfazer, uma marca da qual não conseguiremos escapar.


Por isso, antes de passar para a próxima etapa, para a etapa seguinte, para o desafio ali da frente, antes de iniciar uma nova estrada, jogar-se de cabeça em uma nova aventura, antes de sair da casa dos pais, desistir do relacionamento, mudar de emprego ou ir para uma nova cidade, lembre-se que, deste ponto pra frente, nada mais ficará, nada permanecerá, nada retrocederá: no instante seguinte, tudo será diferente.


Admitir e aceitar esta realidade pode ser uma dádiva ou um desespero sem tamanho: a realidade é uma questão de ótica e de escolhas.


Entretanto, a verdade, amigos, esta é uma só: apenas existe o daqui pra frente, o resto são ilusões, peças da nossa mente. A memória, por si só, é uma fantasia. Tenha cuidado para não viver uma vida inteira arraigado nela.


Comentarios


Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
bottom of page