Como estão seus relacionamentos?

July 6, 2018

Quem está só está mal acompanhado.

DeRose

 

 

Se você busca autoconhecimento, investia nos seus relacionamentos. Cada relação que você estabelece é uma oportunidade de se conhecer melhor. Afinal, de que adianta inúmeras ferramentas que prometem as mais diversas mudanças positivas se você não as coloca a prova? Você acharia possível alguém conduzir a evolução interior se continuasse emocionalizado, mal educado, desentendendo-se com outras pessoas, brigando com colegas de trabalho, com os amigos, com a esposa, com os empregados? Alguém que fosse maledicente, grosseiro, desonesto, mentiroso? Claro que não!

 

Relacionar-se de maneira leve e descontraída faz bem para todos os envolvidos. A alegria é saudável e nos predispõe a uma vida longa e feliz. A alegria esculpe nossa fisionomia para que denote mais juventude e simpatia. A alegria cativa e abre portas que, sem ela, nos custariam mais esforço. A alegria pode conquistar amigos sinceros e preservar as amizades antigas. Pode até salvar casamentos.

 

Nosso trabalho está fundamentado em uma filosofia oriental cuja uma das principais características é o matriarcalismo, ou seja, a orientação para o cuidado com o outro. Se você estiver predisposto a estabelecer melhores interações estará, consequentemente, cuidando daqueles com os quais se relaciona. Estes, ficarão mais felizes em conviver, dialogar ou, simplesmente, dividir o mesmo espaço com você. Quem nunca deixou um recinto pela presença de alguém com características desagradáveis?

 

Porém, também valorizamos muito a liberdade individual. O postulado da Gestalt nesse aspecto é genial quando ensina: "você não existe para me agradar; eu não existo para lhe agradar. Se, apesar disso, agradamo-nos mutuamente, poderemos conviver. Se não, seguiremos separados."

 

Tenha em vista que para aprimorar relacionamento deve-se estar predisposto a isso. É uma tarefa de reeducação de hábitos e requer muita disciplina. Nossas ações automáticas nos conduz a lugares que não necessariamente queremos. Se não se introduz neste mecanismo uma mudança consciente, os resultados serão sempre os mesmos. Uma dica, é comunicar que você está em "reabilitação". Peça ajuda e feedbacks para que digam quando você agiu de forma equivocada, ou quando conseguiu agradar. Envolva pessoas queridas no seu processo de aprimoramento e veja como você vai influenciá-las positivamente.

 

A elegância do comportamento não é exercida para o outro que recebe e sim para o próprio que a cultiva.

DeRose  

 

Fontes do artigo:

Método de Boas Maneiras e Tratado de Yôga, de DeRose

Una revolución sutil, de Yael Barcesat  

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags