Somos uma escola

Texto por Paola Martins






Somos compostos pelo somatório das nossas experiências: o que vemos acontecer diante de nossos olhos, com o que nos alimentados, o que sentimos na pele... Tudo.


Nossa escola, em suas paredes, janelas, portas, cada pedacinho, é um somatório das nossas experiências também, que, ao longo destas quase duas décadas, passaram a ser as experiências dela própria, como o ser vivo e pulsante que é.


Começamos como uma ideia, antes mesmo de haver possibilidade de o projeto tornar-se concreto. Uma ideia que passou ao papel, que tomou forma e que veio ao mundo com muita ação, comprovando que mentalização, sem AÇÃO, são só ideias. E aqui, somos de fazer e acontecer e depois ir lá e fazer de novo.


Passamos por uma boa reforma pelas mãos do Prof. Fabiano Gomes, demolindo paredes, construindo novas peças, tirando tudo o que já não fazia mais sentido, e trazendo coisas novas. Soa como alguma experiência que você já tenha tido por aqui? É, depois de cruzar pela porta de entrada, todos nós passamos por uma BELA reforma.


Depois disso, agregamos amigos. Boa companhia. Boa gente. Boas risadas. Esta é a nossa alma.


Rapidamente, tornamo-nos um abraço em meio a um dos bairros mais queridinhos da cidade, pois este é um dos exercícios que mais praticamos quando estamos aqui, e só de pisar na soleira já sentimos este aconchego: abraços de boas-vindas, abraços de celebração, abraços de despedida... Nossos corações estão sempre buscando estar próximos.


E a partir daí, tudo é aprendizado.


Teve quem aprendeu que é capaz de ficar de ponta cabeça sem esforço, quem descobriu como usar uma vassoura, quem entendeu o que precisava fazer para construir seu legado, quem aprendeu a demonstrar coreografia, quem descobriu que precisava desistir de tudo e começar tudo de novo, e muita, muita gente que aprendeu a lavar EVA.


Alguns de nós aprenderam a dançar, outros aprenderam a amar, uns tantos aprenderam a respirar, vários aprenderam a liderar e muita, muita gente aprendeu a sorrir.


Teve quem aprendeu a fazer chai, teve quem entendeu como tocar percussão, teve quem descobriu como funciona o aspirador de pó, teve gente que aprendeu a se alimentar com o melhor pra si e muita, muita gente que aprendeu a explorar.


Uns alunos aprendem a questionar, outros alunos aprender a aceitar. Alguns aprendem a descontrair, outros aprendem a levar as coisas a sério.


Algumas pessoas chegam dispostas a não aprender nada, e saem com conhecimento suficiente para mudar a própria vida, mesmo fazendo resistência (imagina se se entregassem ao processo...).


Aprendemos a sediar eventos incríveis, a fazer as melhores festas da cidade, a cair e levantar, a não desistir, e a manter a disciplina a constância e a consistência.


Aprendemos a dizer adeus e a receber as novidades conforme elas se apresentam.


Através de cada um destes instantes, tornamo-nos o que realmente somos: uma escola, o lugar onde todos os que chegam aprendem uma coisa ou outra ou várias, sem jamais parar por ai.


Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags