Vitalidade, produtividade e corpo físico

Texto por Paola Martins

Dezembro está chegando e, junto com ele, também chega para muitos de nós os sinais de cansaço e esgotamento do corpo físico. Isto é o que normalmente acontece com todos nos últimos meses do ano, ainda mais tendo em conta o complicadíssimo ano de 2020 que tivemos.


Na reta final do ano, a correria multiplica, e as energias vitais vão se acabando. Nas próximas semanas estaremos implorando por férias e descanso.


É comum, também, que este período nos deixe mais reflexivos sobre nossas escolhas e rumos da vida. É neste último mês que trazemos a consciência para nossa jornada - os caminhos já trilhados, e para onde desejamos apontar nossos passos daqui em diante.


Muitas vezes, refletimos sobre as ações necessárias para atingir determinadas metas e objetivos, traçamos nossos planos a serem executados a partir de janeiro, mas deixamos de dar a atenção devida ao veículo através do qual nos manifestamos pelo mundo: nosso corpo físico.


Os sinais de cansaço, fadiga, dores de cabeça, dores musculares são a forma como o seu corpo se comunica com você, pedindo atenção e cuidado. Seu corpo está lhe dizendo que precisa ser alimentado com combustíveis de melhor qualidade (alimentação, bebidas, emoções, pensamentos…) e que precisa de espaço e tempo hábil para recarregar as baterias esporadicamente, sob pena de, literalmente, sofrer um curto circuito.


Não somos máquinas. Somos humanos. Lembre-se disso.


Desenvolva compaixão consigo mesmo para perceber e aceitar os momentos em que estiver se sentindo mais esgotado, pois é um sinal do seu corpo para que você seja mais moderado. Pare de resistir a esses sinais.


Aumentar a vitalidade exige autocuidado e autocompaixão.


Esteja atento para perceber os sinais que estão presentes no seu dia a dia: na qualidade do seu sono, na sua capacidade de foco, na forma como você se comunica e na maneira como se move pelo mundo.


Não há como ser produtivo estando em esgotamento do corpo, seja física ou mentalmente. Insistir em produzir em determinadas condições de cansaço não geram resultado, geram autofagia.


Da mesma forma, com a queda dos níveis de energia do corpo, despenca também a sua habilidade de concentração nas suas atividades, tornando você mais propenso a erros, e, ainda, reduz a sua capacidade de se comunicar de maneira assertiva. Não é à toa que tantos conflitos profissionais e pessoais começam a pipocar por ai a partir de 01/12....


A forma como nos movimentamos, como nos manifestamos pelo mundo revela nossos estados de consciência. É o que dizem da linguagem corporal: você pode manipular suas palavras, mas não aquilo o que seu corpo, seus gestos e seu tom de voz, estão dizendo sobre você.


Nossa dica de fim de ano para você é a seguinte: Saia da almofada fofa da inércia. Movimente-se. Cuide do seu corpo e da sua mente. Aprimore sua inteligência corporal, que engloba tudo aquilo o que você faz, tudo o que você come, tudo o que você bebe, tudo o que você sente, através de um constante autoestudo.


Uma poderosa e bela ferramenta que desenvolve e aprimora a inteligência e a consciência corporal, além de aumentar os níveis de vitalidade e estimular um aumento da produtividade nas rotinas diárias, é o treinamento de Coreografias do DeRose Method.


Quer saber mais sobre essa ferramenta de aumento de vitalidade? Inscreva-se no evento que ocorrerá online na próxima terça-feira, 08/12, `às 20:30:



Para aprofundar o tema, sugerimos que você assista o vídeo abaixo:



Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags