Ar puro

Texto por Paola Martins



O ambiente a sua volta - o local, todas as coisas, e cada uma das pessoas - contribui e interfere diretamente na composição daquilo que você é hoje.


Por este motivo, quando os resultados esperados não estão sendo alcançados, ou pior, quando os resultados estão sendo os indesejados, o melhor que podemos fazer por nós mesmos é promover uma mudança de cenários.


Pense desta forma: árvores frutíferas só brotam de solos férteis. Assegure-se de que o ambiente pelo qual você transita é um solo fértil. Caso contrário, troque de lugar.


Porque todas as partículas deste local, todas as coisas e cada uma das pessoas, interferem em você na sua composição mais íntima, no seu âmago, na química do seu corpo.


Se você se cerca de pessoas carregadas com ódio, amargura, ira, raiva, rancor, serão estes os sentimentos que respingarão em você. E não pense que você é impermeável: é impossível chegar perto de uma queda d’água e permanecer seco.

O limpo, ao tocar o sujo, não o torna limpo, mas se torna sujo.

Se você se encontra em um ambiente poluído, você respira poluição, você se torna poluição e você polui. Tenha certeza que esta poluição pode se referir as mais diversas espécies, não apenas do ar a nossa volta, repleto de gases nocivos, mas também dos hábitos, das emoções e dos pensamentos que poluem (e, algumas vezes, inclusive soterram e matam).


Faça a experiência: passe um período, um dia todo ou mesmo uma tarde ou uma manhã no meio do mato.


É possível encontrar coisas que jamais teriam espaço para permanecerem vivas em um centro urbano.


Borboletas não voam livremente, mostrando todas as suas cores, em bandos, entre os prédios no centro da cidade, e há um motivo para isso.



Foto: Tenha borboletas no coração - Tanara Fritsch


As pombas, por outro lado, reproduzem-se e multiplicam-se no centro da cidade, e igualmente há um motivo para isso.


Você quer ser como as pombas, apenas mostrando alguns tons de cinza e alimentando-se de migalhas pelo resto dos dias, ou possui potencial de metamorfose suficiente para resplandecer todas as cores e toda a leveza das borboletas?


Para fazer isso, sugiro que esteja atento aos sinais do ambiente a sua volta: ele lhe dirá quais condições de temperatura e pressão está lhe proporcionando, esta lhe alimentando.


Olha para as paredes: o mofo e o musgo são sinais clássicos de umidade, sujeira e falta de cuidado. Em sentido contrário, a natureza nos fornece uma alga que apenas está presente em lugares onde o ar é puro, e você pode respirar à vontade: o líquen rosa.


Esteja atento às paredes do seu corpo, e às da sua vida.


Ao menor sinal de mofo e musgo, oxigene-se com ar de qualidade. Sempre que se deparar com líquen rosa, respire profundamente.


Que tal começar hoje?


Acesse o site:





Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags